Saudades

Dizer que não sinto falta seria mentir pra mim mesma.

Mas sei que estou fazendo o certo.

Mesmo que eu sofra, mesmo que eu fraqueje, sinta saudades, sinta vontade de chorar, é o melhor para todos.

Sei que ele arranjará outra mais cedo ou mais tarde, mas pelo menos não serei eu a cometer o mesmo pecado.

Fazer o que se gosta sem agredir o outro, mas o outro faria o mesmo por mim, mesmo sem me conhecer?

Ate que ponto devemos nos anular em prol do outro?

Fazer algo ou não fazer pensando no outro.

Não deveríamos fazer por nós mesmos?

Fazer o que gostamos.

Com quem gostamos.

O outro que muitas vezes nem conhecemos teria a mesma consideração?

Mas acabou.

Pelo menos os encontros.

Mas as lembranças estão vivas, a vontade de vê-lo, de estar com ele, de beijá-lo é cada dia maior, mas sei que é só questão de tempo até esquecê-lo.

Até lá umas noites mal dormidas, umas olhadas no numero do telefone dele, uma esperança de que ele ligue – e se ligar não resistiria -, seria meu destino pelo menos por um tempo.

L

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: